Buscar
  • Carol Derschner

Mágoa afogada


Palavra é tinta, atómo arranjado.

E palavra é mais, éter em desenho

Que com delicadeza e véu

Funde-se em papel no céu que tenho.


A rima é pouca a dar conta do dia.

Do mês nem se fala, tamanha alegria.

Varre-te daqui tristeza perplexa

Retira teu gancho travado na testa.


Vai te embora, uiva, murcha e sai.

Que no meu poço, posso, e a água não turva

Lá no meu poço, peço, cala muda

Que eu já não te quero mais.


Caroline Derschner

todos os direitos reservados